Receita de comemorações felizes!

Receita de comemorações felizes!

Receita de comemorações felizes!

Há algum tempo afastada do consultório, após 3 mudanças naquele ano, muito stress e correria, ela finalmente encontrara uma forma de me visitar, tudo para fechar o ano com o que seria uma belíssima noite de Natal e novas promessas para o ano que começaria.

Este ano a festa seria diferente, novos integrantes na família, um por vir, uma nova vegetariana e um que há pouco havia, infelizmente, tido o diagnóstico de câncer e, claro sempre existem os gulosos na família.

Diferente do que sempre fazia, desta vez ela não vinha com pedidos escandalosos para que eu endossasse suas loucuras gastronômica de uma semana.

Ela havia aprendido, não existe dia do lixo, não existe compensação. Existe uma rotina, um hábito transformado. Ela aprendeu de maneira prática e persistia no caminho correto, mas as dúvidas surgiam quando assumia a responsabilidade das escolhas de outros.

O que fazer, o que servir, como ser saudável e atingir todas as necessidades naquela que seria a primeira de muitas ceias que planejava fazer?

É de uma delicadeza ímpar pensar em preferencias e escolhas individuais quando se é anfitrião e, Malu sabia conduzir com primor aquela tarefa. Mas ao fazer isso, quase enlouquecia e tendia a me arrastar junto, o manejo de sua euforia era imperativo naquele momento.

Pare um minuto, respire fundo...quer um chazinho? E, enfim, começamos a conversar.

Dentro deste contexto tão diferenciado, falávamos em lactante, gestante, vegetariano, gula e câncer e ainda tínhamos que pensar em comidinhas tradicionais que remetessem ao Natal e trouxessem à tona memórias calorosas dos Natais em família, risadas e gritaria como toda boa família italiana.

Não estava lhe parecendo uma tarefa fácil, aliar tantas necessidades e desejos em uma única mesa, então depositava em mim as expectativas de sucesso de sua noite. Claro...simples não seria e, deveria ser prático, funcional, além de delicioso.

Iniciei nossos trabalhos com um questionamento: qual a definição de tradição? Ela me entreolhou e certamente pensou que estava louca (rsrsrs).

Tradição é o ato de transferir, perpetuar ou praticar uma história e costumes. Mas, porquê estes costumes não podem ser remodelados frente ao novo tempo? Quem disse que mudar uma tradição que não cabe mais no contexto atual traria desconforto e tristeza à uma reunião familiar alegre e unida. Afinal, qual o verdadeiro sentido da reunião...o encontro ou a comida?

Porque damos mais valor à mesa que ao abraço, à árvore decorada, às risadas e brincadeiras de crianças? E Natal é vida!

Pedi para ela que pensasse nisso e propusesse um novo costume. O de comer saudavelmente para que pudessem ter a certeza que no próximo ano se reveriam, sem histórias tristes de idas e vindas em farmácias, médicos e hospitais, mas que estes gastos fossem revertidos e distribuídos na forma de flores, abraços, presentes e doação.

Uma nova forma de pensar o Natal! Foi o que ela exclamou saltando do sofá.

Tendo atingido meu ponto principal, expliquei que ela deveria contextualizar o buffet servido dentro de um mundo mais moderno e que nem por isso se esqueceriam o tradicional, mas dariam nova roupagem, uma reciclagem de costumes, uma atualização de valores, um alinhamento com o tempo vivido. Uma nova tradição surgiria ali, naquela noite! Uma inovação de Natal!

Continuamos a tagarelar por mais 1 hora, avaliando as nuances dos convidados, o que poderíamos ou não usar e qual a real necessidade daquele grupo.

A conclusão foi a mais simples, o que não poderiam comer era o óbvio, comidas com muita gordura, monocromática, muito sal e com muito carboidrato.

As lactantes precisam de muitos nutrientes e energia suficiente para produção do leite. A gestante precisa de proteína e de tantas quantas cores existem para fornecer o melhor mundo nutricional ao feto, mas a comida devia ser leve e digestiva para não gerar desconforto à futura mãe. O Sr em tratamento de câncer precisava estar baseado numa dieta relativamente branda (cozidos) mas com bom aporte de fibras e muitos alimentos antioxidantes, quanto mais vegetais coloridos, melhor seria; o guloso comeria por estar saboroso e pensaria em repetir o prato (sem stress e menos radicais livres!), já o vegetariano...ah, este era fácil, pode facilmente se mesclar nas propostas anteriores e estará amparado pelo universo dos vegetais!

O que o grupo precisava em resumo era de opções saudáveis, naturais, vivas e coloridas, com vegetais e carnes de fácil digestão. Para não esquecer a tradição o peru seria a escolha protéica, como uma carne saudável, não foi difícil incluí-lo no cardápio.

Aí começamos a rodada de perguntas:

Mas tradicionalmente temos o arroz. Ok, podemos usar o arroz com cúrcuma (açafrão), poderoso anti- inflamatório e arroz negro riquíssimo em fibras e polifenóis.

Mas pode peru? A maioria sim, mas melhor que coloquemos uma opção de peixes pois são fáceis de preparar e super digestivos, além de saudáveis para o portador de câncer e para a gestante.

E a farofa? Façamos de castanhas, sementes e aveia. Sabor e crocância é o que uma farofa precisa.

E... o purê? Que seja de abóbora! Mais bonito e rico em carotenoide.

E um prato quente para vegetarianos? Que tal uma moqueca de banana da terra com pimentão e pipoca de castanha! Delícia sem igual! Pode ser a portuguesa? Claro, aproveite a temporada. Assada é ainda melhor.

Tem que ter salada? Sempre temos que ter uma variedade de vegetais crus previamente à refeição, pois induz a saciedade, confere fibras e carrega o corpo por enzimas digestivas. Ah meu Deus... a uva passa não pode faltar! Claro que não, intercale com cranberries e se surpreenderá! Acrescente-as na farofa ou diretamente na salada!

Que tipo de óleo uso no preparo, podemos ter frituras? Sempre use azeite, extravirgem...tanto no preparo quanto no tempero cru. Quanto menos azeite no preparo melhor. Substitua a fritura pelo assamento e descomplique sua dispensa, tenha somente um belo azeite de baixa acidez (acidez < 0,3) e pronto.

E a sobremesa? Ok, ok! Que tal lembrar a tradição italiana e preparar um belo tiramissù com pouquíssimo ou zero açúcar e claro, deixe sempre frutas disponíveis, são doces e maravilhosas, aproveitando a safra de cerejas, ameixas, morangos e pêssegos, capriche no visual anti-inflamatório das frutas vermelhas! Quer incrementar, sirva com iogurte natural ou creme de abacate!

A cada questionamento e resposta dada seus olhos iam aumentando e, ela logo percebeu que poderia dar nova cara à velha tradição de uma forma muito saudável e deliciosa e que não falar em mudança daquilo que estava a seu alcance era puramente uma desculpa.

Sobre nossas conversas ela lembrou: a cada desculpa dada, uma nova meta a ser alcançada. As pequenas permissões abrem espaço para grandes erros!

Malu anotou tudo em seu caderninho e ficou aguardando o envio das receitas completas que iria compartilhar com ela. Dois dias depois de recebê-las, minha surpresa.

Uma série de fotos disparavam no meu celular, era uma mini produção do que seria seu Natal. Tudo devidamente testado e aprovado com louvor por alguns dos críticos mais temidos do evento. Claro, não poderia ser diferente, afinal nada daquilo que foi oferecido era ruim... eu comemorei, mais um mito despencava e mais um praticante saudável despertava!

Em meio à fotos, mais uma última pergunta: e bebida alcoólica? Minha resposta era a mesma, sempre. Poder, não pode.

Mas se devo fazer uma única concessão às pessoas saudáveis ali presentes, vá para o vinho tinto, opte por uma bebida que te traga melhor custo benefício. Neste caso, escolha um bom vinho, na razão de 1:1,5 com água. Para cada taça de vinho, uma e meia de água deve ser consumida, intercalando as bebidas! Para quem não pode, sirva o chá de hibisco gelado, ou suco de uva natural, ricos em polifenóis e mascarados de vinho tinto numa bela taça, continuará incluído no grupinho da bebida!

Quer incrementar a água? Sirva com fatias de limão e/ou hortelã com gengibre, a gestante e o Sr em tratamento, agradecem!

Tudo havia saído dentro do conforme e, aquele que seria o menu de uma cliente querida passou a integrar o cardápio da minha família. Apresentada as opções, entre aplausos, desconfiança e dúvidas, seguimos com agradáveis surpresas na seara alimentar saudável!

Aproveitar enquanto temos tempo é uma máxima importante, mas não a traduza de maneira errada, comemorar é fundamental, mas estar presente é mais importante! Não aproveite à mesa como se fosse o último dia, você pode estar efetivamente encurtando o tempo que têm juntos. Comemore intensamente, aproveite cada instante e garanta que estará presente para um próximo evento juntos! Mude, crie novos hábitos, crie uma nova tradição! Perpetue saúde. Perpetue memórias e boas lembranças. Perpetue vida!

Com o menu que usarei na minha ceia...finalizo desejando muita paz, muita luz, muita saúde, antioxidantes e anti-inflamatórios naturais à todos!

Boas festas!!

CARDÁPIO DE FESTA

1- Salada morna de aspargos com crispies de couve e alho assado

Ingredientes:
Folhas variadas, 1 maço de folhas de couve, 1 cabeça de alho, 3 abobrinhas italianas, 1 xícara de tomates cereja, 2 maços de aspargos, 2 colheres (sopa) de azeite, sal (dissolvido em água fervida), cúrcuma e lemon pepper com folhas de manjericão a gosto

Molho: 1 maço de hortelã picadinha, 2 pimentas dedo-de-moça picadas (sem sementes), suco de 2 limões Tahiti, sal (dissolvido em água fervida) e pimenta rosa a gosto e azeite.

Modo de preparo: Lave, higienize e seque os vegetais. Tempere as folhas com vinagre de maçã e separe. Pique as folhas de couve e separe a cabeça de alho inteira (com casca) e leve ambos ao forno ou air fryer (a couve fica crocante e o alho cremoso). Tempere um pouco de azeite com sal, pimenta do reino. Use-o para aquecer uma frigideira e doure os aspargos, abobrinha e tomates, ou adicione o azeite temperado sobre os vegetais numa assadeira e leve ao forno (140 graus por 15/20 minutos). Monte a salada de folhas com os vegetais mornos cubra com o molho ou sirva-o à parte.

2- Salada arco íris crocante

Ingredientes: Alface americano picada, 1/2 repolho roxo fatiado finamente, cebola roxa pequena, Mini Folhas de alface romano, 1/2 xícara de tomates cereja, 1 punhado de uvas passas douradas, 1 punhado de cranberry, 1 dente de alho amassado, 3 mandioquinhas, Azeitonas verde ou ervilhas, Sal defumado, sementes de chia e de girassol, 2 colheres aceto balsâmico, mostarda dijon, azeite extra-virgem e lemon pepper com cúrcuma.

Modo de Preparo: Cozinhe até ponto duro (al dente) a mandioquinha e pique em rodelas. Leve para resfriar.

Em uma tigela misture a mostarda com aceto balsâmico e azeite, acerte o sal. Em seguida, tempere as folhas com vinagre de maçã e misture os demais ingredientes. Adicione o molho e polvilhe o mix de sementes.

3- Peru ou tilápia surpresa com calda de berries

Ingredientes: Peru assado, 1 cebola grande picada, 3 dentes de alho grande amassados, Temperos naturais a gosto, 2 colheres (sopa) de azeite, 1 tomate picado, Sal (dissolvido em água fervida) e pimenta do reino a gosto

Modo de Preparo: Doure a cebola e alho no azeite. Junte os temperos e o tomate. Deixe o peru ficar bem dourado.

Filés de tilápia preferencialmente frescos, 4 tomates firmes e maduros, 4 cebolas, 1 pimentão amarelo, 1 pimentão vermelho, Suco de 3 limões, 3 xícaras de chá verde, Sal e pimenta-do-reino, cúrcuma e Azeite.

Modo de preparo: Prepare a infusão de chá verde. Deixe os filés de molho por 1h.

Depois, tempere o suco de limão com sal, pimenta preta e cúrcuma e outros temperos a gosto e acrescente sobre o peixe. Deixe repousar um pouco no tempero. Numa frigideira, acrescente azeite e coloque os filés com o caldo cobrindo. Cozinhe em fogo brando até ficar macio.

Para calda: 50g de cebola; 20g de alho; 2 colheres de sopa de azeite extra-virgem; 150g de frutas vermelhas (morango, amora, framboesa e mirtilo).

Modo de preparo: Refogue o alho e a cebola com o azeite de oliva e acrescente as frutas vermelhas. Deixe cozinhar até reduzir em 50% da quantidade inicial. Sirva como calda no peru ou peixe!

4 – Farofa rica de castanha e aveia

Ingredientes: castanha de caju picada grosseiramente, pistaches, sementes de girassol e abóbora, quinua, gergelim negro, amaranto, sal rosa, cebola, alho, azeite, 2 ovos (opcional), punhado de uvas passas douradas e flocos (médios) de aveia.

Modo de preparo: Numa assadeira em forno brando coloque as castanhas e sementes.

Borrife um pouco de água sobre as castanhas e leve ao forno para dourar. Refogue a cebola e alho no azeite e junte os flocos de aveia em seguida os ovos mexendo bem. Acrescente as castanhas e sementes e ajuste o sal.

5 – Purê “stracciatella” de abóbora

Ingredientes: Abóbora picada, azeite e sal a gosto, chia e nibs de cacau.

Modo de preparo: corte a abóbora em cubos e cozinhe até ficar macia. Amasse bem, até ponto de purê e adicione o azeite e sal e polvilhe a chia e nibes de cacau.

6 - Moqueca de banana da terra e pipoca de castanha

Ingredientes: 4 bananas da terra maduras, 3 colheres de sopa de azeite de oliva 2 limões, 1 cebola picada, 2 dentes de alho, 1 pitada de sal (dissolvido em água fervente), 1 col café de cúrcuma e pitada de pimenta preta moída, 2 tomates picados, 1⁄2 pimentão amarelo e 1⁄2 pimentão vermelho fatiados, punhado de castanhas portuguesas, 2 colheres de sopa de óleo de coco, 1 xícara de leite de coco fresco, coentro ou salsinha e/ou hortelã, Pimenta (opcional), Sal marinho

Modo de Preparo: Leve as castanhas portuguesas para assar. Assim que estiverem bem assadas, retire as cascas e reserve. Aqueça uma panela de barro, corte a banana ao meio e em tiras compridas, tempere a banana com o suco de 1 limão, sal e alho. Corte a cebola em tiras, 1 tomate picado e outro em rodelas igual aos pimentões. Refogue a cebola, tomate picado e pimentão no azeite de oliva com pitada de sal, cúrcuma e pimenta. Adicione uma camada banana da terra, seguida por uma camada da cebola, tomates e pimentões, adicione parte do tempero fresco (coentro/salsinha) e leite de coco. Deixe ferver por 10 minutos com a panela tampada e finalize com óleo de coco. Acrescente o restante das ervas frescas e as castanhas estouradas (sem casca).

7- Tiramissú pouquinho mais leve

Ingredientes: 6 claras em neve, 6 gemas peneiradas, 200ml de leite condensado sem açúcar (pode comprar pronto ou fazer, se preferir faça com leite de coco), 400g de cream cheese, 100g de mascarpone. Massa de bolo pão de ló, 1 xic de café bem forte, licor de café ou essência, cacau ou chocolate 100% em pó para polvilhar.

Modo de preparo: Bata claras em neve. Misture em uma vasilha os queijos, o leite condensado e as gemas, até formar um creme, em seguida coloque as claras batidas em neve. Em uma travessa faça duas camadas de massa de bolo umedecida em café e licor e 2 camadas de creme intercalando, sendo a última camada de creme. Polvilhe com o cacau e deixe gelar por 4 horas. 

Andrea Alterio

Andrea Alterio

Andrea Alterio é Nutricionista formada na Universidade São Camilo (SP) com especialidade em Oncologia Multiprofissional pelo Hospital Israelita Albert Einstein. Mestre em Nutrigenética e possui outras 4 especializações em Nutrição Clínica, com ênfase em Metabologia e Bioquímica Médica, Nutrição Funcional, Obesidade e Esportes além de um Master em Nutrição Humana comportamental (coaching nutricional) em Roma, Itália.  Atualmente trabalha em consultório clínico, em São Paulo e Interior.

  • IKCC - International Kidney Cancer Coalition
  • World Ovarian Cancer Day
  • WAPO - World Alliance of Pituitary Organizations
  • The Carcinoid Cancer Foundation
  • Alianza GIST
  • The Life Raft Group

Faça parte Novidades

Temos muitas coisas para compartilhar com você.
Lembre-se: você não está sozinho!

Digite o email corretamente

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso. Obrigado!

Indique este site

Indicação realizada com sucesso!

Seja parceiro

Mensagem enviada com sucesso!

Seja voluntário

Mensagem enviada com sucesso!

Envie seu depoimento

Depoimento enviado com sucesso!