Espaço de Vida
Buscar
0800-7733241
0800-7733241
A ligação é gratuita!


Cadastre-se e receba nossas novidades:

Câncer Renal

Câncer Renal


O que é?

Atualmente, o câncer renal, representa cerca de 3% das doenças malignas em adultos no mundo. No Brasil, surgiu mais de 580 mil casos novos até o final de 2015, sendo duas vezes mais frequente nos homens que nas mulheres. O tipo mais comum do câncer renal é o carcinoma de células renais, que representa 90% dos casos, e se origina nos rins, podendo se espalhar pelo corpo.  Dados publicados pelo Globocan, um projeto da Organização Mundial da Saúde que visa coletar, organizar e divulgar dados estimativos da incidência e mortalidade dos tipos mais comuns de câncer no mundo, apontam que, em 2015, 6.768 pessoas receberam o diagnóstico de câncer de rim no Brasil, sendo 4.068 homens e 2.700 mulheres. A maioria das pessoas com câncer renal são mais velhas. A idade média das pessoas quando diagnosticadas é de 65 anos. O câncer de rim é muito raro em pessoas com menos de 45 anos de idade. Ele está entre os 10 tipos de cânceres mais comuns em homens e mulheres. No geral, o risco de desenvolver câncer de rim é cerca de 1 em 63 (1,6%).

Sobre os Rins:

Os rins são um par de órgãos em formato de um feijão. Um rim está localizado do lado esquerdo e o outro do lado direito da coluna vertebral. Ambos estão protegidos pela caixa torácica. A principal função dos rins é filtrar o sangue e remover do corpo o excesso de água, sal e produtos residuais. Os produtos residuais filtrados são concentrados na urina. Os rins também ajudam a verificar se o corpo tem eritrócitos (também conhecidos como glóbulos vermelhos ou hemácias) suficientes. Os rins também atuam secretando substâncias importantes para nossa saúde. Entre suas funções, pode-se destacar a manutenção do equilíbrio de eletrólitos no corpo, como sódio, potássio, cálcio, magnésio, fósforo, bicarbonato etc.; a regulação do equilíbrio ácido-básico, mantendo o pH sanguíneo constante; a excreção de substâncias exógenas, como medicações; e a produção de hormônios, como aldosterona e prostaglandinas.

O câncer de rim é também conhecido como hipernefroma ou adenocarcinoma renal. Existem vários tipos de câncer renal. O mais frequente é o câncer renal de células claras, sendo responsável por 85% dos tumores diagnosticados. Entenda  sobre o Câncer Renal de Células Claras: O CCR de célula clara é o tipo de célula associado com a mutação no gene von Hippel Lindau (VHL) no câncer renal hereditário. De fato, aproximadamente 70% dos casos não hereditários de CCR de células claras também apresentam mutação no aVHL.

 

Conheça os Tipos de Câncer Renal:

 

- Carcinoma de Células Renais (CCR)

Nem todos os cânceres renais são os mesmos. Há um crescente entendimento entre os médicos e pesquisadores de que há diferentes subtipos de CCR e que eles se comportam de formas completamente diferentes, tanto com relação ao quanto são agressivos no paciente quanto como eles respondem ao tratamento. Há dez ou quinze anos, era comum para um relato de patologia de um paciente com câncer renal se ler simplesmente Carcinoma de Células Renais. Hoje, este diagnóstico simples é considerado incompleto. A identificação do subtipo específico ou tipo de célula (histologia) do câncer renal pode ser tão importante na determinação do prognóstico do paciente quanto saber o estágio e o grau do CCR. Seu médico deve lhe oferecer informações sobre a histologia, grau e estágio do seu câncer renal. Em caso negativo, você deve se sentir confortável em pedir estas informações uma vez que é uma parte importante do seu planejamento de tratamento.
Os subtipos de CCR vêm da descrição da aparência das células e outras características. Eles incluem:

 - Carcinoma de Células Renais (CCR) de Células Claras

Esta é a forma mais comum de câncer renal e representa entre 66% e 75% de todos os casos. O CCR de célula clara é o tipo de célula associado com a mutação no gene von Hippel Lindau (VHL) no câncer renal hereditário. De fato, aproximadamente 70% dos casos não hereditários de CCR de células claras também apresentam mutação no aVHL. Muito da pesquisa atual, que tenta identificar novos tratamentos efetivos para pacientes com doença localmente avançada ou metastática, foca neste subtipo da doença, uma vez que é o tipo mais comum de CCR.

Quando o tumor não está espalhado, o prognóstico é muito bom depois de excisão cirúrgica. O prognóstico para o paciente está diretamente relacionado tanto com o estágio (tamanho do tumor e faixa de crescimento) quanto o grau (as características das células tumorais) do câncer. Tanto o estágio quanto o grau são explicados mais adiante neste capítulo.

Pacientes com CCR de células claras metastático – ou um tumor que se espalhou para outras partes do corpo – apresentam um prognóstico significativamente mais desfavorável.

 - Carcinoma de Células Renais (CCR) Papilar

Esta é a segunda forma mais comum de câncer renal, somando aproximadamente 15% dos casos.

O CCR papilar é dividido em dois subtipos com base na aparência celular: Tipo I (5%) e Tipo II (10%). Há um aumento na incidência de CCR papilar em afro-americanos e um aumento na incidência de doença bilateral (envolvendo ambos os rins) associado com este subtipo.

Há também formas hereditárias tanto do CCR papilar Tipo I quanto Tipo II. Quando o CCR papilar não está espalhado, a remoção cirúrgica está geralmente associada a um excelente prognóstico. No entanto, quando ocorre metástase do CCR papilar para outros locais do corpo, a maioria das terapias convencionais para CCR, tal como imunoterapia, são ineficazes.

- Carcinoma de Células Renais (CCR) Cromófobo

Esta forma rara de câncer renal representa aproximadamente 5% dos casos de CCR. Pensa-se que este tipo de CCR se origina a partir do mesmo tipo de célula que aquelas que formam os oncocitomas renais (vide). Tumores híbridos que contém características tanto do CCR cromófobo quanto do oncocitoma renal também foram diagnosticados. Há uma forma familiar ou herdada de CCR cromófobo (em associação com oncocitoma renal) chamada de síndrome de Birt Hogg Dubé, a qual também está associada a uma mutação em um gene específico. Raramente ocorre metástase do CCR cromófobo até tardiamente na sua evolução clínica, e uma remoção cirúrgica de doença localizada ou mesmo localmente avançada está associada, geralmente, a um excelente prognóstico. CCR cromófobo metastático é relativamente raro e nenhuma terapia padrão existe atualmente.

-Carcinoma de Células Renais Não-Classificado

Menos de 1% dos carcinomas de células renais são de tipo não-classificado e são muito raros. Eles não se encaixam em nenhum dos subtipos mais comuns de CCR. Quando examinados em microscópio, estas células de câncer não-classificadas apresentam uma estrutura e características genéticas não compatíveis com a descrição dos subtipos de CCR mais comuns. Esta categoria geralmente inclui tumores agressivos que não respondem à terapia tradicional para CCR.

-Carcinoma dos Ductos Coletores

Esta é uma variação rara e muito agressiva do câncer renal que representa menos de 1% dos casos. Esta forma de CCR é, em geral, metastática no momento do diagnóstico e é mais comum em indivíduos mais jovens. O tratamento foi direcionado no uso de regimes com base em quimioterapia, semelhante àqueles utilizados no tratamento de carcinoma de células transicionais (vide abaixo), uma vez que estes tumores não respondem às terapias tradicionais de CCR, como a bioimunoterapia.

-Carcinoma de Células Renais (CCR)  medular

Esta também é uma variação muito rara e agressiva do câncer renal, apesar de ser uma variação do carcinoma dos ductos coletores. Ele está comumente associado ao traço falciforme e, portanto, é mais comum na população afro-americana. Ele representa menos de um por cento dos cânceres renais diagnosticado. A quimioterapia continua sendo o foco principal do tratamento para esta doença.

-Carcinoma de Células Renais (CCR) Sarcomatoide

Esta condição, conhecida como “diferenciação”, pode ocorrer com qualquer um dos subtipos comuns de CCR. O termo se refere ao fato de que as células do CCR – quando visualizadas em microscópio – têm aparência de células de sarcoma. A porcentagem de diferenciação de sarcomatoide é, geralmente, refletida no relato de patologia do tumor e relata a agressividade do tumor. O prognóstico associado ao CCR Sarcomatoide geralmente é desfavorável. A condição é frequentemente encontrada em pacientes cujo câncer renal realizou metástase de forma ampla. Esta forma de câncer renal é, alguma vezes, tratada com quimioterapia.

-Carcinoma de Células Transicionais do Rim (CCT)

Carcinoma de células transicionais (CCT) do rim é um tumor raro e potencialmente muito agressivo que não deve ser considerado um verdadeiro câncer renal, mas ao invés, deve ser agrupado com aqueles cânceres que se desenvolvem a partir da linha do trato urinário. Isto inclui CCT da bexiga, que é muito mais comum do que CCT do rim. Se o câncer não se espalhou, o tumor pode ser tratado por remoção cirúrgica tanto do rim quanto do ureter, embora recorrências de CCT na bexiga sejam comuns. Quando o tumor é grande ou ocorreu metástase, o prognóstico é extremamente desfavorável e as opções de tratamento são semelhantes àquelas para câncer de bexiga metastático, que inclui quimioterapia.

 

SUBTIPOS

Oncocitoma Renal

Este é um tumor benigno do rim que soma aproximadamente 5% de todos os tumores de rim. Não ocorre metástase destes tumores, embora possam crescer a tal tamanho no rim e invadir estruturas locais, que podem resultar em sintomas que requerem cirurgia. Eles são considerados relacionados ao CCR cromófobo e pode ser muito difícil diferenciar os dois. O tumor é tratado através de remoção parcial ou completa do rim.

 

A escolha do tratamento, onde o tratamento é feito, a frequência de check-ups e muitos outros aspectos do controle da doença são determinados pelo paciente e o médico. Alguns pacientes acreditam que as informações sobre o câncer renal são apresentadas em termos médicos complicados. Mas, muitas informações, incluindo os recursos recomendados neste guia são especificamente escritos para pacientes em uma linguagem fácil de entender a qual não requer treinamento especializado.

Quanto mais você souber, melhores serão suas decisões, e mais você se sentirá no controle da sua doença. O conhecimento sobre a sua doença o ajudará a se comunicar melhor com seu médico e enfermeira e aumentará sua confiança no tratamento que você recebe. Saber mais sobre o câncer renal é um passo importante para lutar efetivamente contra a doença.


Notícias Relacionadas


  10 sintomas de que seu rim não está bem!
  6ª Conferência Internacional da IKCC - International Kidney Cancer Coalition (Coalisão Internacional de Câncer de Rim)
  Afinal, beber muita água por dia ajuda ou atrapalha o rim?
  Água com Gás faz bem ou mal a saúde?
  Alimentação x Insuficiência Renal por Andrea Alterio
  Alimentação x Rim
  Câncer de Rim: Fique atento aos sinais do seu corpo!
Compartilhe:
Voltar 
As informações disponíveis neste portal têm o objetivo estritamente informativo e não devem ser usadas para auto-diagnóstico, auto-medicação e/ou para substituir os serviços ou informações médicas e/ou profissionais da saúde. Em caso de dúvidas fale com seu médico ou com a equipe que lhe atende, eles poderão esclarecer todas as suas dúvidas. O Conteúdo editorial, manuais e/ou vídeos entrevistas do Portal não tem relação comercial com os apoiadores.

Instituto Espaço de Vida

| Sobre o Instituto Espaço de Vida | Fale Conosco
Rua Jandiatuba, 630 – Torre B – Cj. 333 – Vila Andrade – CEP: 05716-150 – São Paulo/SP - Fone: 11 - 3721-5317