Espaço de Vida
Buscar
0800-7733241
0800-7733241
A ligação é gratuita!


Cadastre-se e receba nossas novidades:

Câncer de Pele

Câncer de Pele


O que é

O Câncer de Pele (melanoma) é um câncer que se inicia em um determinado tipo celular da pele. Conhecer a estrutura e função normal da pele ajuda a entender o melanoma.

data-cke-saved-src=http://espacodevida.org.br/pub/conteudo/conteudo_f23411c7da.jpgPele normal
A pele é o maior órgão em seu corpo. Ela faz muitas coisas diferentes:
•Cobre os órgãos internos e ajuda a protegê-los de lesão
•Serve como uma barreira para os germes, como bactérias
•Previne a perda de água em excesso e de outros fluidos
•Ajuda a controlar a temperatura corporal
•Protege o resto do corpo dos raios ultravioleta (UV)
•Ajuda o corpo a produzir vitamina D

A pele tem 3 camadas: a epiderme, a derme e a subcutânea:

Epiderme
A camada superior da pele é a epiderme. A epiderme é muito fina, com média de apenas 0,2 milímetros de espessura (cerca de 1/100 de uma polegada). Ela protege as camadas mais profundas da pele e os órgãos do corpo do ambiente.
Os queratinócitos constituem o principal tipo celular da epiderme. Essas células produzem uma importante proteína chamada queratina que ajuda a pele a proteger o resto do corpo.
A parte mais externa da epiderme é chamada de estrato córneo. Ele é composto de queratinócitos mortos que são continuamente descamados à medida que novos se formam. As células nesta camada são denominadas células escamosas devido ao seu formato achatado.
As células escamosas vivas são encontradas abaixo do estrato córneo. Essas células passaram para cá da parte mais baixa da epiderme, a camada basal. As células da camada basal, denominadas células basais, se dividem continuamente para formar novos queratinócitos. Esses substituem os antigos queratinócitos que se desprenderam da superfície da pele.
Os melanócitos, as células que podem se tornar melanoma, também são encontrados na epiderme. Essas células da pele produzem um pigmento castanho chamado melanina, que confere a pele a sua cor bege ou marrom. A melanina protege as camadas mais profundas da pele de alguns dos efeitos prejudiciais do sol.
A epiderme é separada das camadas mais profundas da pele pela membrana basal. Esta é uma importante estrutura porque quando o câncer de pele se torna mais avançado, ele geralmente cresce por esta barreira para dentro das camadas mais profundas.

Derme
A camada intermediária da pele é chamada de derme. A derme é muito mais espessa que a epiderme. Ela contém folículos pilosos, glândulas sudoríparas, vasos sanguíneos e nervos que são mantidos no lugar por uma proteína chamada colágeno. O colágeno, produzido por células chamadas fibroblastos, confere a pele a sua elasticidade e resistência.

Subcutânea
A camada mais profunda da pele é chamada subcutânea. A camada subcutânea e a parte mais inferior da derme formam uma rede de colágeno e células adiposas. A camada subcutânea ajuda o corpo a conservar o calor e possui um efeito de absorção do choque que ajuda a proteger os órgãos corporais de lesões.
 

TIPOS

Tumores Benignos de Pele

Muitos tipos de tumores benignos (não cancerígenos) podem se desenvolver de diferentes tipos de células da pele.

Tumores que começam nos melanócitos
Uma pinta (nevo) é um tumor benigno de pele que se desenvolve a partir dos melanócitos. Praticamente todas as pintas (nevos) são inofensivas, porém ter alguns tipos pode aumentar o seu risco de melanoma. Vide a seção, “Quais são os fatores de risco para cânceres de pele tipo melanoma?” para mais informações sobre pintas.
O nevo de Spitz é um tipo de tumor de pele que, algumas vezes, parece um melanoma. Esses tumores são geralmente benignos e não se espalham. Porém, às vezes, os médicos tem dificuldade de distinguir o nevo de Spitz dos melanomas verdadeiros, mesmo ao examiná-los sob o microscópio. Assim, eles são geralmente removidos, apenas por precaução.

Outros tumores benignos
Os tumores benignos que se desenvolvem de outros tipos de células da pele incluem:
•Ceratoses seborreicas: manchas elevadas bege, marrom ou preta com uma textura “ondulada”.
•Hemangiomas: crescimento benigno do vaso sanguíneo geralmente chamado de manchas em cereja ou morango ou manchas vinho do porto
•Lipomas: crescimento com textura macia de células gordurosas
•Verrugas: crescimento com superfície áspera causada por um vírus
A maioria desses tumores raramente, se em algum momento, viram cânceres. Existem muitos outros tipos de tumores de pele benignos, mas a maioria não é muito comum.

 

 

Câncer de Pele Tipo Melanoma

O melanoma é um câncer que começa nos melanócitos. Outros nomes para este câncer incluem melanoma maligno e melanoma cutâneo. Como a maioria das células do melanoma ainda produz melanina, os tumores de melanoma são geralmente marrons ou negros. Porém a maioria dos melanomas não faz melanina e podem ter um aspecto rosa, bege ou até mesmo branco.
Melanomas podem ocorrer em qualquer lugar na pele, porém eles são mais propensos a começar em determinados locais. O tronco (tórax e costas) é o local mais comum nos homens. As pernas são o local mais comum em mulheres. O pescoço e o rosto são outros locais comuns.
Ter a pele com pigmentação escura diminui o seu risco de melanoma nesses locais mais comuns, porém qualquer um pode desenvolver este câncer nas palmas das mãos, solas dos pés e debaixo das unhas. Os melanomas nessas áreas representam mais da metade de todos os melanomas em africano-americanos, porém menos de 1 em 10 melanomas entre brancos.
Os melanomas também podem se formar em outras partes do seu corpo, como olhos, boca e genitais, porém eles são muito menos comuns do que o melanoma da pele. Os melanomas nesses órgãos são discutidos nos nossos outros documentos.
O melanoma é muito menos comum do que os cânceres de pele de células basais e de células escamosas, porém é muito mais perigoso. Como os cânceres de células basais e de células escamosas, o melanoma é quase sempre curável em seus estágios iniciais. Porém tem muito mais chance, do que o câncer de célula basal ou escamosa, de se espalhar para outras partes do corpo, se não detectado precocemente.
 

 

Outros Tipos de Câncer de Pele

Os cânceres de pele que não são melanomas são, às vezes, agrupados como cânceres de pele não melanoma porque se desenvolvem a partir de células da pele que não os melanócitos. Eles tendem a se comportar de maneira muito diferente dos melanomas e são geralmente tratados de diferentes formas.
Os cânceres de pele não melanoma incluem cânceres de células basais e células escamosas. Eles são de longe os cânceres de pele mais comuns e, na realidade, são mais comuns do que qualquer outra forma de câncer. Como eles raramente se espalham (metastizam) para outras partes do corpo, os cânceres de células basais e células escamosas são menos preocupantes e são tratados de forma diferente do melanoma. O carcinoma de células de Merkel é um tipo incomum de câncer de pele que é, às vezes, mais difícil de tratar.
 

Quais são as principais estatísticas sobre o melanoma?

O câncer de pele é de longe o mais comum de todos os cânceres. O melanoma representa menos de 5% dos casos de câncer de pele, mas causa a grande maioria das mortes por câncer de pele.
As estimativas mais recentes da Sociedade Americana do Câncer para melanoma nos Estados Unidos são para 2012:
• Cerca de 76.250 novos casos de melanoma serão diagnosticados (aproximadamente 44.250 em homens e 32.000 em mulheres). As taxas de melanoma têm aumentado por pelo menos 30 anos.
• Espera-se que cerca de 9.180 pessoas morrerão de melanoma (cerca de 6.060 homens e 3.120 mulheres).
O melanoma é mais de 10 vezes mais comum em brancos do que em africano-americanos. No geral, o risco durante a vida de desenvolver melanoma é de aproximadamente 2% (1 em 50) para brancos, 0,1% (1 em 1.000) para negros e 0,5% (1 em 200) para hispânicos. Diferente de muitos outros cânceres comuns, o melanoma ocorre em pessoas mais jovens e mais velhas. As taxas continuam a aumentar com a idade e são maiores entre aqueles em seus 80 anos, porém o melanoma não é incomum mesmo entre aqueles com menos de 30 anos. De fato, é um dos cânceres mais comuns em adultos jovens (especialmente mulheres jovens). 

 

Algumas informações sobre exposição ao sol e vitamina D

Os médicos descobriram que a vitamina D tem muitos benefícios à saúde. Ela pode até mesmo ajudar a reduzir o risco para alguns cânceres. A vitamina D é produzida naturalmente pela sua pele quando você é exposto ao sol. A quantidade de vitamina D que você produz depende de vários fatores, incluindo a sua idade, a cor da sua pele, e a intensidade da luz solar onde você mora.
Neste momento, os médicos não tem certeza do nível ideal de vitamina D. Muitas pesquisas estão sendo feitas nesta área. Sempre que possível, é melhor obter a vitamina D da sua dieta ou de suplementos vitamínicos do que da exposição solar, porque as fontes dietéticas e suplementos vitamínicos não aumentam o risco para câncer de pele, e são maneiras tipicamente mais confiáveis de receber a quantidade que você precisa.


Notícias Relacionadas


  Declaração dos Direitos da Pele
  Dezembro Laranja
  Entenda o Melanoma
  Páginas da Vida: Melanoma? O que é isso?
  Páginas da Vida: Você nunca sabe a força que tem até que você não tenha escolha!
Compartilhe:
Voltar 

Apoio



Sem vídeos relacionados

Publicações

Publicações
Conheça agora nossas publicações gratuitas.
Acesse
As informações disponíveis neste portal têm o objetivo estritamente informativo e não devem ser usadas para auto-diagnóstico, auto-medicação e/ou para substituir os serviços ou informações médicas e/ou profissionais da saúde. Em caso de dúvidas fale com seu médico ou com a equipe que lhe atende, eles poderão esclarecer todas as suas dúvidas. O Conteúdo editorial, manuais e/ou vídeos entrevistas do Portal não tem relação comercial com os apoiadores.

Instituto Espaço de Vida

| Sobre o Instituto Espaço de Vida | Fale Conosco
Rua Jandiatuba, 630 – Torre B – Cj. 333 – Vila Andrade – CEP: 05716-150 – São Paulo/SP - Fone: 11 - 3721-5317