Espaço de Vida
Buscar
0800-7733241
0800-7733241
A ligação é gratuita!


Cadastre-se e receba nossas novidades:

Câncer de Pâncreas

Câncer de Pâncreas


O que é

O pâncreas normal

pâncreas é um órgão localizado atrás do estômago. Ele tem um formato um pouco semelhante a um peixe com uma cabeça larga, corpo cônico e uma cauda estreita e pontuda. Mede cerca de 6 polegadas de comprimento, mas menos de 2 polegadas de largura e se estende horizontalmente através do abdômen. A cabeça do pâncreas está do lado direito do abdômen (barriga), atrás do local em que o estômago se encontra com o duodeno (a primeira parte do intestino delgado). O corpo do pâncreas está localizado atrás do estômago e a cauda do pâncreas está do lado esquerdo próximo ao baço.
O pâncreas contem 2 diferentes tipos de glândulas: exócrina e endócrina.
 

As glândulas exócrinas produzem o “suco” pancreático, que é liberado para os intestinos. Este suco contem enzimas que auxiliam na digestão de gorduras, proteínas e carboidratos do alimento que você consome. Sem elas, alguns dos alimentos que você consome apenas passariam pelos seus intestinos sem serem absorvidos. As enzimas são liberadas em pequenos tubos chamados ductos. Esses pequenos tubos se fundem para formar ductos maiores que desembocam no ducto pancreático. O ducto pancreático se funde com o ducto biliar comum (o ducto que transporta a bile do fígado) e esvazia o suco pancreático no duodeno (a primeira parte do intestino delgado) na ampola de Vater. Mais de 95% das células no pâncreas são glândulas exócrinas e ductos.

Uma pequena porcentagem das células no pâncreas são células endócrinas. Essas células estão dispostas em pequenos aglomerados chamados ilhotas (ou ilhotas de Langerhans). As ilhotas liberam hormônios importantes, como insulina e glucagon, diretamente para o sangue. A insulina reduz a quantidade de açúcar no sangue, ao passo que o glucagon aumenta. O diabetes resulta de um defeito na produção de insulina.
 

 

TIPOS DE TUMORES

As células exócrinas e células endócrinas do pâncreas formam tipos completamente diferentes de tumores.

Tumores exócrinos
Tumores exócrinos são de longe o tipo mais comum de câncer de pâncreas. Quando alguém diz que tem câncer de pâncreas, isto geralmente quer dizer que se trata de um câncer de pâncreas exócrino. Cistos benignos (não cancerosos) e tumores benignoschamados cistoadenomas podem ocorrer, porém a maioria dos tumores exócrinos de pâncreas são malignos (cancerosos). Um adenocarcinoma é um câncer que começa nas células glandulares. Cerca de 95% dos cânceres exócrinos de pâncreas são adenocarcinomas. Esses cânceres geralmente começam nos ductos pancreáticos, porém, às vezes, se desenvolvem a partir de células que produzem as enzimas pancreáticas (carcinomas de células acinares).

Os tipos menos comuns de cânceres de ducto do pâncreas exócrino incluem carcinomas adenoescamosos, carcinomas de células escamosas e carcinomas de células gigantes.

Esses tipos são diferenciados um do outro com base no modo como eles se apresentam no microscópio.
O tratamento de um câncer de pâncreas exócrino é, em grande parte, baseado no estágio do câncer, e não no seu tipo exato. O estágio do câncer descreve o tamanho do tumor e até onde ele se espalhou. O estadiamento do câncer de pâncreas está descrito mais adiante neste documento.


Um tipo especial de câncer, chamado câncer ampular (ou carcinoma da ampola de Vater)merece ser citado neste documento. O local em que o ducto biliar e o ducto pancreático se unem e desembocam no duodeno é chamado de ampola de Vater. Os cânceres que se iniciam ali são chamados cânceres ampulares. Esses cânceres geralmente bloqueiam o ducto biliar, enquanto ainda estão pequenos e não se espalharam. Este bloqueio causa o acúmulo da bile no corpo, o que leva ao amarelamento da pele e dos olhos (icterícia), podendo tornar a urina escura. Isto é um sinal facilmente reconhecido de que algo está errado. É por isso que os cânceres ampulares são geralmente encontrados em um estágio precoce do que a maioria dos cânceres de pâncreas, o que significa que eles geralmente apresentam um melhor prognóstico (perspectiva) do que os cânceres de pâncreas comuns.
Os cânceres ampulares estão incluídos com o câncer de pâncreas neste documento porque seus tratamentos são semelhantes.
 


Tumores endócrinos
Os tumores endócrinos de pâncreas são incomuns. Como um grupo, eles são conhecidos como tumores neuroendócrinos de pâncreas (NETs), ou, às vezes, como tumores de células da ilhota. Eles são diversos subtipos de tumores de células da ilhota. Cada um recebe uma denominação de acordo com o tipo de célula produtora de hormônio em que a doença se inicia:

  • Insulinomas vem das células que produzem a insulina.
  • Glucagonomas vem das células que produzem o glucagon.
  • Gastrinomas vem das células que produzem a gastrina.
  • Somatostatinomas vem das células que produzem a somatostatina.
  • VIPomas vem das células que produzem o peptídeo vasoativo intestinal (VIP).
  • PPomas vem de células que produzem polipeptídeo pancreático.

Tumores carcinoides são outro tipo de NET de pâncreas. Esses tumores geralmente produzem a serotonina (também chamada 5-HT) ou seu precursor, 5-HTP.
Cerca da metade dos NETs de pâncreas produzem hormônios que são liberados no sangue e, portanto são denominados tumores funcionais. Tumores que não produzem hormônios são denominados não funcionais.
Os tumores de células da ilhota podem ser benignos ou malignos.

Os tumores benignos são chamados tumores neuroendócrinos de pâncreas, ao passo que os tumores malignos são denominados cânceres ou carcinomas neuroendócrinos de pâncreas. Os tumores malignos e benignos podem parecer muito semelhantes sob o microscópio e, portanto nem sempre fica claro no momento do diagnóstico se o câncer é ou não um NET. O diagnóstico, por vezes, somente se torna claro quando o tumor se espalhou para fora do pâncreas.
 

Os cânceres neuroendócrinos de pâncreas constituem menos de 4% de todos os cânceres de pâncreas diagnosticados. O tratamento e prognóstico depende do tipo específico do tumor e do estágio (extensão) do tumor, porém o prognóstico é geralmente melhor do que o dos cânceres exócrinos de pâncreas. Os tipos mais comuns de tumores endócrinos de pâncreas são gastrinomas e insulinomas.

 

Os outros tipos ocorrem mais raramente.
É muito importante diferenciar o câncer de pâncreas exócrino do endócrino. Eles apresentam fatores de risco e causas distintas, possuem sinais e sintomas diferentes, são diagnosticados utilizando diferentes testes, são tratados de modo diferente e apresentam diferentes prognósticos. Neste documento, o termo tumor neuroendócrino do pâncreas é utilizado para tumores endócrinos benignos e malignos do pâncreas.

 

Termos comumente utilizados para descrever o câncer de pâncreas.

De um ponto de vista prático, a extensão que o câncer se espalhou geralmente não pode ser determinada de modo exato até a cirurgia. É por este motivo que os médicos utilizam um sistema de estadiamento mais simples, que divide os cânceres em grupos com base da sua probabilidade de poder ou não ser removido cirurgicamente. Esses grupos são denominados ressecáveis, localmente avançados (irressecável) e metastáticos. Esses termos são utilizados para descrever os cânceres de pâncreas exócrino e endócrino.

Ressecável
Se o câncer está somente no pâncreas (ou se espalhou um pouco além dele) e o cirurgião puder retirar todo o tumor, ele é denominado ressecável.

Localmente avançado (irressecável)
Se o câncer não tiver ainda se espalhado para órgãos distantes, porém ainda não pode ser completamente removido com a cirurgia, ele é denominado localmente avançado. Muitas vezes o motivo pelo qual o câncer não pode ser removido é porque muito dele está presente nos vasos sanguíneos adjacentes. Como o câncer não pode ser removido inteiramente pela cirurgia, ele também é denominado irressecável. Para esses tumores, a cirurgia somente seria feita para aliviar os sintomas ou problemas como um ducto biliar ou trato intestinal bloqueado.

Metastático
Quando o câncer tiver se espalhado para órgãos distantes, ele é denominado metastático. A cirurgia ainda pode ser realizada, porém o objetivo seria aliviar os sintomas, não curar o câncer.

 


Notícias Relacionadas


  Aprovado novo medicamento para câncer de pâncreas
Compartilhe:
Voltar 
As informações disponíveis neste portal têm o objetivo estritamente informativo e não devem ser usadas para auto-diagnóstico, auto-medicação e/ou para substituir os serviços ou informações médicas e/ou profissionais da saúde. Em caso de dúvidas fale com seu médico ou com a equipe que lhe atende, eles poderão esclarecer todas as suas dúvidas. O Conteúdo editorial, manuais e/ou vídeos entrevistas do Portal não tem relação comercial com os apoiadores.

Instituto Espaço de Vida

| Sobre o Instituto Espaço de Vida | Fale Conosco
Rua Jandiatuba, 630 – Torre B – Cj. 333 – Vila Andrade – CEP: 05716-150 – São Paulo/SP - Fone: 11 - 3721-5317